2020 faz primeira alteração rumo à fusão com a Penguin

Se há coisa que gostamos de fazer na Subscrito é de passear pelos sites das editoras. Não só para estarmos a par das novidades, que depois partilhamos convosco, mas também para sabermos como se organizam os livros e que notícias há para ler naqueles espaços.

Tal não foi a surpresa quando tentámos entrar no sites da Vogais, chancela da 2020 Editora, quando tentávamos saber mais informações sobre um livro para um artigo que estávamos a escrever, e somos automaticamente direcionados para o site principal da editora.

É que, até então, a 2020 disponibilizava um site para cada uma das suas chancelas. Mas parece que tudo mudou e agora todos os livros estão disponíveis em apenas um sítio. Esta deverá ser a primeira alteração na fusão com a Penguin Random House, que dará origem a um novo grupo editorial em Portugal.

A notícia foi avançada em julho deste ano. Penguin Random House Grupo Editorial Portugal vai ser o nome da nova empresa, na qual passam a estar agrupados cerca de 4000 títulos. Um dos objetivos principais é que se passem a publicar cerca de 650 títulos por ano, de acordo com a informação disponibilizada em comunicado pelas duas empresas, citado pelo Observador.

A 2020 Editora tem chancelas como a Booksmile, Cavalo de Ferro, Elsinore, Fábula, Farol, Influência, Lilliput, Nascente, Topseller e Vogais. A Penguin é detentora de chancelas como Alfaguara, Arena, Companhia das Letras, Nuvem de Letras, Nuvem de Tinta, Objectiva, Penguin Clássicos e Suma de Letras.

Por Rúben Henriques

Licenciado em Artes e Humanidades pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Rúben Henriques tem também uma pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Já trabalhou em alguns órgãos de comunicação social e, atualmente, é livreiro numa grande cadeia nacional.