“A Casa dos Espíritos” de Isabel Allende

Uma família unida pelo amor e pelo ódio mais complexos e duradouros do que as lealdades políticas.

Publicado em Categorizado como Críticas & Opinião Etiquetas:
Créditos: DR

Allende cria uma obra repleta de espíritos e personagens extraordinárias.

Começamos por Esteban Trueba, o patriarca, que vive obcecado pela terra e pela esposa, a sua paixão; já Clara, a matriarca, é esquiva e misteriosa, e dotada de poderes sobrenaturais. Clara prediz as tragédias da família, estabelecendo o destino da casa e dos Trueba. Blanca é a filha do casal que ama o filho do capataz. Deste amor, mal visto por Estaban, nasce Alba. Embora despreze a escolha de Banca, Estaban ama a neta: uma mulher bela e voluntariosa.

A obra descreve então a família chinela Trueba ao longo de três gerações, descrevendo as suas lutas e os seus segredos. Mudanças violentas e revoluções tomam conta das vidas das personagens.

O leitor fica a conhecer quase um século da história do Chile: o conservadorismo dos governos, os movimentos revolucionários do proletariado e da ditadura que levou à tortura e à morte de milhares de pessoas. No meio deste mundo dominado pelos homens, a autora oferece aos leitores retratos de mulheres resistentes, que se lutam ao lado dos homens que amam.

A escrita sublime de Isabel Allende e o valor que coloca nas histórias destas mulheres prende o leitor desde a primeira página. A história do seu Chile não se desprende da história que cria e percebemos o amor que a autora sente pelo seu país e pelas mulheres da sua vida.

A obra integra o Plano Nacional de Leitura como leitura recomendada para o Ensino Secundário.

Por Catarina Duarte Alves

Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Catarina Alves é uma apaixonada por livros e, atualmente, trabalha como livreira numa cadeia nacional.