A Lenda de S. Martinho

Créditos: Pixabay

A lenda

Reza a lenda que num dia frio e tempestuoso de outono, um soldado romano chamado Martinho seguia o seu caminho montado a cavalo até que se deparou com um mendigo esfomeado e com frio. Martinho era conhecido pela sua generosidade e, para ajudar o mendigo, tirou a sua capa e cortou-a ao meio com a sua espada. Assim, cobriu o mendigo com uma das partes da sua capa.

Após seguir o seu caminho, encontrou outro homem pobre cheio de frio e ofereceu-lhe a outra metade da capa, que ele envergava. O soldado continuou a viagem agora sem capa e com frio, até que como por milagre o céu se abriu e a tempestade passou. Durante três dias, o sol aqueceu a terra e até aos dias de hoje, por volta do dia 11 de novembro, surgem uns dias de calor aos quais chamamos de «verão de S. Martinho».

Na noite seguinte, Cristo apareceu a Martinho num sonho e usava a capa do mendigo. Neste sonho, Martinho vê Cristo a virar-se para os anjos e a dizer: «Martinho cobriu-me com esta veste».

A tradição

Embora o dia de São Martinho seja festejado por toda a Europa, em Portugal é tradição a realização de magustos e beber-se água-pé e provar o novo vinho. De acordo com José Leite de Vasconcelos, esta tradição remonta às comemorações do Dia de Todos os Santos, chegando aos dias de hoje: acendiam-se fogueiras e assavam-se castanhas.

Por Catarina Duarte Alves

Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Catarina Alves é uma apaixonada por livros e, atualmente, trabalha como livreira numa cadeia nacional.