Os melhores livros para passar o tempo este fim-de-semana

Publicado em Categorizado como Listas

Para entrar em grande neste fim-de-semana, por que não Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid, um romance que tem tanto de encantador como de inesquecível. Segue-se um clássico da literatura inglesa com Mansfield Park, de Jane Austen. Para domingo, sugerimos Pessoas Normais, de Sally Rooney, uma história sobre amizade e amor mútuos. Aproveite para descansar, enquanto lê um destes três títulos e não se esqueça de partilhar nas nossas redes sociais o que achou.

Em baixo, mais informações sobre cada livro.

«Os Sete Maridos de Evelyn Hugo», de Taylor Jenkins Reid

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid, é uma obra editada pela TopSeller.

Sendo uma das maiores estrelas de Hollywood, Evelyn Hugo, de 80 anos, decide contar a sua vida. Evelyn escolhe a jornalista Monique Grant para escrever a sua história, que é repleta de glamour e escândalo. A jornalista está determinada a aproveitar esta oportunidade para dar um impulso na sua carreira, registando assim todo o relato de Evelyn com grande fascínio e determinação.

Desde a sua chegada a Hollywood, no início da década de 1950, à decisão de abandonar o mundo do espetáculo passados apenas 30 anos, vemos a vida de Evelyn no mundo artístico. Contudo, a nossa estrela não deixa de fora os seus sete casamento, mostrando como viveu uma vida de ambição desmedida, amizades improváveis e ainda um amor proibido.

É quase no final que o leitor entende a razão que levou Evelyn Hugo a escolher Monique Grant para escrever a sua história: ambas estão ligadas de um modo trágico e irreversível.

«Mansfield Park», de Jane Austen

Mansfield Park, de Jane Austen, é uma obra editada pela Book Cover Editora.

Fanny Prince nasceu de um casamento que resultou do amor e não de prestígio social. Devido às dificuldades financeiras da família, aos nove anos, Fanny é enviada para Mansfield Park para viver com o seu tio abastado, Sir Thomas Bertram, e a sua tia Mrs. Norris.

Com o passar do tempo, Fanny aproxima-se de Edmundo, o único que a recebe e trata amavelmente na sua nova casa. Sir Thomas Bertram tenta encorajar a nossa protagonista a casar com um vizinho, mas Fanny vê-se obrigada a enfrentar as consequências dos seus atos quanto tenta agir por si própria.

Jane Austen cria uma história sobre a moralidade entre as tão distintas classes sociais, mostrando que a classe social não é tudo: Fanny, embora seja probre e inocente, ultrapassa todos os que a rodeia através do que considera ser uma boa moral e do dever familiar.

«Pessoas Normais», de Sally Rooney

Pessoas Normais, de Sally Rooney, é uma obra editada pela Relógio D’Água.

A única semelhança que existe entre Connell e Marianne é o facto de ambos terem crescido na mesma pequena cidade da Irlanda. Na escola, Connell é popular e admirado por todos, enquanto Marianne é uma jovem solitária que passou por várias experiência dolorosas. Contudo, tudo muda com apenas uma conversa difícil, mas eletrizante.

Sally Rooney consegue mostrar que através do fascínio, da amizade e do amor mútuos qualquer relação consegue sobreviver, caso ambas as partes lutem por essa relação. Connell e Marianne tentam separar-se, no entanto percebem que precisam um do outro. Rooney mostra-nos ainda «como aprendemos sobre sexo e poder, desejo de magoar e ser magoado, de amar e ser amado