Já pensou nas leituras deste fim-de-semana? Eis 3 sugestões

Começamos com O Processo Criativo, de Seth Godin, uma boa leitura para aprendermos a desenvolver a competência da criatividade. Segue-se A Era da Inteligência Artificial, de Henry A. Kissinger, Daniel Huttenlocher e Eric Schmidt. Para domingo, sugerimos Ruído, um livro sobre tomadas de decisão. Aproveite para descansar, enquanto lê um destes três títulos e não se esqueça de partilhar nas nossas redes sociais o que achou.

Em baixo, mais informações sobre cada livro.

«O Processo Criativo», de Seth Godin

O Processo Criativo, de Seth Godin, é uma obra editada pela Ideias de Ler.

De acordo com Seth Godin, a criatividade é extremamente importante. Porém, há momentos em que sentimos falta de inspiração, o que nos leva a uma sensação de fracasso.

Com esta leitura, aprendemos que a criatividade não é um talento, mas sim uma competência que pode ser trabalhada e desenvolvida. Devemos procurar uma ideia e praticar muito. Godin mostra-nos, de forma clara e objetiva, que o segredo do sucesso no processo criativo é mesmo este: praticar e repetir.


«A Era da Ineligência Artificial», Henry A. Kissinger, Daniel Huttenlocher e Eric Schmidt

A Era da Inteligência Artificial, de Henry A. Kissinger, Daniel Huttenlocher e Eric Schmidt, é uma obra editada pela D. Quixote.

Nesta obra mais recente sobre Inteligência Artificial (IA), os três autores refletem sobre o seu impacto no conhecimento, na política e nas diferentes sociedades, bem como uma visão de uma possível coabitação entre humanos e a IA.

Segundo Kissinger, Huttenlocher e Schmidt, a IA «está a entrar nos motores de busca online, no streaming, na medicina, na educação e em muitos outros domínios,  e, ao fazê-lo, está  a alterar a forma como os humanos experienciam a realidade».


«Ruído», de Daniel Kahneman, Olivier Sibony e Cass R. Sunstein

Ruído, de Daniel Kahneman, Olivier Sibony e Cass R. Sunstein , é uma obra editada pela Objectiva.

Ruído define-se aqui por consistir em variações de decisões que deveriam ser idênticas, mas não o são. Assim, o ruído está presente em todas as nossas decisões do quotidiano, podendo estar na origem de erros de julgamento em diversos campos, incluindo na medicina, nos tribunais, nas previsões económicas, etc.

Daniel Kahneman, vendedor do Prémio Nobel da Economia, juntamente com Cass R. Sunstein e Olivier Sibony, ensinam-nos a avaliar as origens desse ruído e a tentar reduzí-lo, de modo a melhorar os nossos processos de análise e de tomada de decisão.

Por Catarina Duarte Alves

Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Catarina Alves é uma apaixonada por livros e, atualmente, trabalha como livreira numa cadeia nacional.