O Mundo de Harry Potter. A chave para “escapar à realidade”

A saga de “Harry Potter” pode ser uma porta aberta para escapar à realidade através da leitura de um livro.

Nós, os amantes de livros ou os fãs de «boa» literatura, somos incompreendidos por todos aqueles que não gostam de ler ou não têm hábitos de leitura como os nossos, isto é, ler diariamente. Se possível, tentamos começar e terminar um livro no mesmo dia; se não, no máximo dos máximos, numa semana.

Este facto leva a outro problema, que é aquele que vamos abordar aqui: quem gosta de livros e de literatura fica fã de trilogias ou sagas. Não preferimos apenas este género literário àquele; não preferimos apenas um autor a outro; não preferimos esta história àquela. O que acontece na realidade é que lemos o primeiro livro e, se gostarmos, é claro que teremos de ler o segundo livro, e por aí adiante.

Depois são realizados os filmes… E, para além de adorarmos os livros, adoramos os filmes, mesmo que sejam completamente diferentes dos livros. Mas é por isso que são adapatações cinamatográficas, não é? E isto é outro problema que deixaremos para outro artigo.

Dentro da temática de sagas ou triologias literárias, a saga Harry Potter de J. R. Rowling é provavelmente a que reúne o maior numero de fãs. Para muitos de nós, estes foram os primeiros livros que lemos por iniciativa própria e, certamente, os primeiros que lemos deste género literário. E como não podia deixar de ser, acabamos por ficar fãs das adaptações cinematográficas. Para ficarem com uma ideia, há quem leia toda a saga uma e outra vez. Bem como passar tardes inteiras a ver os filmes, que acabamos por “obrigar” outros a ver também.

Por vezes, as nossas famílias e amigos que claramente não gostam da saga ou que nem sequer gostam de ler, interrogam-nos sobre o nosso gosto literário. Fazem-nos perguntas do género: ‘Como é que é possível ainda gostares de Harry Potter?’. Mas o único problema não é esse. É que, quando és maior de idade, pensam que deverias cingir-te a leituras de autores como as irmãs Bronte, Hardy, Austen, Shakespeare, Woolf ou Dickens. O que, a bem dizer, são os autores chave da literatura inglesa.

A verdade é que, para muitos de nós, foi o universo criado pela J. K. Rowling que nos fez escapar à realidade através da leitura de um livro. Foi com a leitura das aventuras do pequeno feiticeiro Harry Potter que conseguimos “viajar sem sair do lugar”. E dizem que as primeiras vezes nunca se esquecem e que são sempre especiais, não é?!

Se estás a ler este artigo e cresceste ao mesmo tempo que o pequeno feiticeiro cresceu, então compreendes que também as responsabilidades de cada um de nós cresceram. Tornámo-nos adultos ao mesmo tempo que o Harry Potter.

Harry Potter não é apenas mais uma saga de livros de literatura fantástica para jovens-adultos. Pelo menos não o é para muitos de nós. Podemos afirmar com toda a certeza que foi parte da nossa infância; parte do nosso crescimento; parte de todos nós.

Fica então o desejo de que as aventuras do pequeno feiticeiro Harry continuem a ser um escape para os jovens leitores que começaram agora a apaixonar-se por livros, por literatura. Porque, afinal, haverá melhor magia do que aquela que um livro nos pode proporcionar?!