2 novos livros que chegaram às bancas sobre liberdade

“Um Tambor Diferente” e “Um Longo Caminho para a Liberdade” são as novidades em destaque de janeiro.

Numa altura em que o discurso de ódio está mais evidente, faz cada vez mais sentido a publicação de livros que abordem a cor, a raça, a identidade de género e, no fundo, todas as formas de vida e de condição humana que existem. O que é certo é que todos têm direito à liberdade, seja ela qual for.

Um Tambor Diferente, de William Melvin Kelley
Quetzal Editores, janeiro de 2020

A obra editada pela Quetzal Editores retrata a luta pela dignidade humana. Um Tambor Diferente aborda a vida de Tucker Caliban, um descendente escravo rebelde, que decide deixar as suas terras e partir com a mulher grávida e um filho pequeno. Este ato rebelde não é bem visto pela população daquele tempo dos anos 50 nos EUA.

A história acaba por ser contada pelos Willsons, uma família proprietária de escravos e que vendem as terras da família de Caliban.

Todo o enredo é construído pelo autor William Melvin Kelley, que o escreveu com apenas 24 anos e que colocou a sua obra no patamar dos melhores clássicos sobre a escravidão.

Um Longo Caminho para a Liberdade, Nelson Mandela
Crítica (Almedina), janeiro de 2020

Nelson Mandela dedicou a sua vida à luta contra a opressão racial na África do Sul. O seu caminho valeu-lhe o Prémio Nobel da Paz, em 1993.

Em Um Longo Caminho para a Liberdade escreve sobre as memórias e vida. Algumas derrotas mas, sobretudo, uma vida cheia de coragem para enfrentar o ódio racial.

A obra aborda temas da política e o papel de relevo que teve. É uma referência ainda hoje, quando se fala em direitos humanos e igualdade racial. Ainda para mais porque viveu um quarto de século preso e, por isso, as suas palavras são encorajadoras para quem as lê.