Os livros mais bem classificados no Goodreads – Memórias e biografias

Para a categoria de memórias e testemunhos, contam-se com obras de autores como Elie Wiesel, Maya Angelou e Michelle Obama.

Publicado em Categorizado como Novidades Etiquetas: , , ,
Créditos: Pixabay

Com mais de 90 milhões de membros inscritos na plataforma, a Goodreads conta com mais de 2.3 biliões de livros revistos e classificados. Esta tornou-se numa das primeiras plataformas de pesquisa quando qualquer leitor necessita de recomendações de leitura.

“Noite” de Elie Wiesel

Créditos: DR

Esta é uma obra universal. Inclusivamente, Elie Wiesel ganhou o Prémio Nobel da Paz em 1986.

Ainda em adolescente, Wiesel foi enviado para um campo de extermínio em Auschwitz por ter nascido no seio de uma família judia na Roménia. De seguida, foi transportado para Buchenwald.

O autor relata os horrores que viveu e os episódios que mais o marcaram, como a morte dos pais e da irmã de apenas 8 anos, e a perda da sua inocência devido às barbaridades que sofrera.

Wiesel descreve o lado mais negro e horroroso da natureza humana, fazendo-o de forma eloquente e assustadoramente comovente.

“Sei Porque Canta o Pássaro na Gaiola” de Maya Angelou

Créditos: DR

Publicado pela primeira vez em 1969, esta é uma viagem poética sobre a importância da liberdade num mundo opressivo. Acompanharemos as vivências da Maya Angelou durante a sua infância e juventude, nos anos 30 e 40 do século XX, nesta obra complexa mas que nos deixará a refletir.

A autora aborda temas ainda hoje discutidos, como o racismo e a falta de tolerância, que tocaram a comunidade negra dos Estados Unidos nesta época. Contudo, a autora não deixa de frisar a importância do amor e da esperança, acreditando na possibilidade de um mundo melhor.

“Becoming – A Minha História” de Michelle Obama

Créditos: DR

Michelle Obama, neste seu livro de memórias, não procura apenas relatar os acontecimentos de forma abstrata. Pelo contrário, a autora não deixa de fora um único detalhe e escreve sobre a sua infância, os seus empregos e a maternidade, chegando por fim aos anos que viveu na Casa Branca. Neste último ponto, a autora detém-se um pouco mais, tentando mostrar a sua visão dos acontecimentos enquanto Primeira-Dama e a sua luta por defender os valores e os ideais que tentou passar para toda a camada de população mais jovem dos Estados Unidos.

Este não só é um relato de uma mulher lutadora, como incita a todos os leitores que lutem por uma sociedade mais justa, equilibrada e respeitadora. Mais do que um livro de memórias, é quase um discurso motivacional.

Por Catarina Duarte Alves

Licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Catarina Alves é uma apaixonada por livros e, atualmente, trabalha como livreira numa cadeia nacional.